terça-feira, 1 de maio de 2007

Retire o título

Andei este fim-de-semana para cima e para baixo na A1 e noutras estradas deste país que não conheço. Vi exemplos de:
Exibicionismo: os peregrinos que vão a Fátima, em Tondela como em Rio Maior, reconhecem-se pelos coletes fluorescentes (e estão sempre parados em volta de um carro com o porta-bagagens aberto).
Poesia: "Vou ser feliz e já volto!" é o slogan no outdoor da sex shop Afrodite 100%.
Idade dos porquês: Pergunta o neto no expresso para Viseu, baixinho: "Avó, és a favor ou contra o Salazar?" Resposta inaudível.
Ir a Roma e não ver o papa: passei em Santa Comba Dão no dia de anos do dito e não dei pela manif.
Redundância: Por cima da porta da igreja da Benedita, em letras garrafais, lê-se "Eu sou a porta".
Coprofilia: O anúncio do papel higiénico Renova é "O papel mais sexy do mundo".
Injustiça: Pergunta o Miguel se quem mora em Fátima também faz peregrinações a Fátima. Pareceu-nos um caso evidente de favorecimento indevido.
Qualquer coisa sem nome: Um anúncio num café em Fátima diz algo como "Aceitam-se idosos para casa particular. Pessoa com experiência".
Também aproveitei para ver uma série de belos espectáculos, actores novos apropriando-se orgulhosamente de palavras novas.

4 comentários:

Anónimo disse...

E eu que não consigo nunca chegar ao título ....
MST

Filipa RR disse...

vou ser feliz e já volto é tão bommmmm

mv disse...

Pois eu fui a St Andrews. Nas escadas de serviço de um dos edifícios da universidade (edifício esse que fazia parte de uma igreja onde estava a haver um casamento), encontrei um papel muito bem escrito (word art, claro), a pedir que "quem o levou devolvesse o gerânio àquele parapeito".

rui disse...

eu sou o comentário.